26 de fev de 2015

Material Complementar - Risco e Corte do Tecido


Risco e Corte

Esta etapa é uma das mais delicadas na confecção de uma peça de vestuário, pois se deve proceder minuciosamente no risco e no corte das partes do molde, para que estas realmente se encaixem na montagem. Quando o molde é mal cortado, dificilmente a peça cairá bem e seria muito complicado fazer correções.


Como utilizar as peças do molde 

  • Reúna todas as partes necessárias ao modelo; Verifique quantas vezes deverá cortar cada peça; Se as peças do molde estiverem muito amarrotadas, passe-as a ferro; Prenda as peças do molde ao tecido com alfinetes ou alinhavos. 


Como prender o molde ao tecido

  • Comece a prender os alfinetes sempre partindo da dobra do tecido, passando depois para os cantos e depois para as bordas; 
  • Os alfinetes devem ser pregados diagonalmente nos cantos e perpendicularmente às beiradas, com as pontas para fora do molde; 
  • Utilize apenas os alfinetes necessários, exceto em tecidos maleáveis e escorregadios; 
  • Estude a posição de todas as peças do molde antes mesmo de riscar; 
  • Depois que fizer o risco, siga-o rigorosamente.


Processos de marcação 

  • A marcação consiste em transferir as indicações do molde para o tecido. Deve-se marcar as linhas de costura, as pences, os pontos de encontro, as partes que serão dobradas, etc. As marcações podem ser feitas com carbono e carretilha, ou giz.
  • Para marcar com carretilha e papel carbono, coloque o papel carbono sobre o avesso do tecido e por cima deste o molde correspondente. Em seguida passe a carretilha seguindo todas as marcações contidas no molde, para reproduzi-las no tecido. Este processo de marcação é aconselhável para tecidos lisos e opacos.
  • Para marcar com giz, uma o tecido à parte do molde correspondente, em seguida, espete alfinetes por cima de cada marcação. Faça as marcações com o giz seguindo o caminho dos alfinetes. Este método é aconselhável para tecidos mais delicados ou multicoloridos, onde a marca do carbono não seria muito visível.
  •  

Como cortar 

  • Antes de cortar certifique-se se é necessário dobrar o tecido. Em caso afirmativo, isto deve ser feito com o máximo de precisão, unindo as ourelas perfeitamente, prendendo-as com alfinetes. Verifique também se há alguma falha de fabricação no tecido, para não cortar uma das partes do molde neste local. Lembre-se de sempre dobrar o tecido unindo direito com direito.
  • Para cortar o tecido perfeitamente, mantenha o tecido bem esticado sobre uma superfície lisa adequada para o corte e siga as orientações alistadas abaixo: 
  • Utilize uma tesoura adequada para este fim. Verifique sempre se as lâminas estão bem afiadas, para que estas não “mastiguem” o tecido. Tenha cuidado para não prender os alfinetes entre as lâminas da tesoura, ao cortar, pois isso prejudica as mesmas; 
  • Durante o corte segure o molde com uma das mãos, para que este não saia do lugar; Não levante o tecido da superfície em que ele se encontra enquanto estiver cortando; 
  • Corte junto às margens do molde, com golpes longos e firmes nas partes mais retas e golpes curtos nas partes curvas e nos cantos; 
  • Deixe a tesoura deslizar livremente, tendo o cuidado para não cortar o molde, pois além de danificá-lo, poderá haver uma alteração na margem de costura.


Passar a Ferro 

  • No processo de montagem de uma peça de vestuário, é muito importante passar a ferro à medida que se costura. Pode ser uma coisa dispensável, porém, isto irá garantir o bom caimento da peça e evitará qualquer defeito de montagem. Para isso, deve-se ter alguns cuidados: 
  • Sempre faça um teste com um retalho do tecido antes de passar a peça; 
  • Retire alfinetes e alinhavos antes de passar a ferro, pois os alfinetes estragam o tecido e a chapa do ferro e os alinhavos podem deixar marcas. Se necessitar passar a peça o com alinhavo, use linha bem fina e alinhavos diagonais; 
  • Passe sempre pelo lado avesso; 
  • Use um pano de passar entre o ferro e o tecido a ser passado. O tipo de pano de passar irá depender do tipo de tecido a ser passado. Os únicos tecidos que dispensam este cuidado são o algodão puro e o linho; Faça o mínimo de pressão no ferro e acompanhe o sentido do fio do tecido ao passa-lo;
  • Os detalhes que devem sempre ser passados a ferro são: costuras, pences, pregas, bolsos, golas, mangas, acabamentos de decotes, etc. Ou seja, deve-se passar a peça praticamente em todas as operações de montagem. 




Comentar com Facebook

Outros Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário